Imprensa

Aqui você pode encontrar todas as novidades referentes aos produtos oferecidos pela ePiso!
Entre em contato com nossa assessoria de imprensa pelo e-mail silvia@mafer-comunicacao.com.br ou (11) 30812425 0u 30815413.

Release


Clipping


Porque as empresas devem investir em ambientes onde os funcionários querem estar?

Por Michael Tiktin

Antes de começar a ler as próximas linhas pare um minuto e pense em seu ambiente de trabalho. Como você se sente? Motivado e cheio de energia? Ou como se estivesse entrando em um hospital? Pois, fique sabendo que o ambiente físico de trabalho causa impacto relevante na produtividade das pessoas. Daí a importância de criar uma experiência agradável para seus funcionários, ou – como diz a ex-executiva de Recursos Humanos do LinkedIn, Pat Wadors – “belas experiências”.

O ambiente físico do trabalho é aquele que podemos ver, tocar, sentir e cheirar. Trata-se daquela obra de arte pendurada na parede, do piso e até do perfil demográfico das pessoas com quem trabalhamos (isto é, a idade, a diversidade, etc.). Dessa forma, apesar de muitos acreditarem que o espaço do escritório está desaparecendo (em especial, com o advento dos espaços de co-working, a larga difusão do Wi-Fi e as recentes revoluções em mobilidade urbana), isso não é inteiramente verdade. Quer dizer, aquela ideia tradicional de escritório com filas de cubículos alinhados em um escritório que parece e cheira como um hospital, sim, está morta.

Todavia, está surgindo um novo conceito de escritório: considere o recentemente construído “The Edge” da empresa de consultoria Deloitte. O prédio mais inteligente e verde do mundo! Ele sabe onde você mora, o carro que você dirige, com quem será sua reunião hoje à tarde e quanto açúcar você costuma colocar no seu café. Mas, será que esse tipo de atributo tem, de fato, impacto na produtividade dos funcionários da empresa?


The Edge: o edifício inteligente da Deloitte

De acordo com o Departamento para Inovação de Negócios e Habilidades do Reino Unido (Department of Business Innovation and Skills, em inglês), a segurança dos funcionários, assim como a adequação do equipamento utilizado e a simpatia pelo ambiente de trabalho são algumas das questões fundamentais que estão intimamente relacionadas ao bem estar subjetivo (SWB, na sigla em inglês). Este é simplesmente um termo criado pela ciência para definir o que é felicidade.

E quais os mecanismos que fazem com que um maior bem estar subjetivo impulsione a performance das pessoas?

São três os mecanismos pelos quais o bem estar subjetivo impactam positivamente a produtividade dos indivíduos:

(i)                  Afetando as habilidades cognitivas dos funcionários: permitindo que eles pensem de forma mais criativa e sejam mais efetivos nas resoluções dos problemas;

(ii)                Modificando a atitude das pessoas em relação ao trabalho: aumentando a propensão deles à cooperação e colaboração, e;

(iii)               Melhorando a saúde das pessoas: beneficiando sua saúde cardiovascular e imunidade, permitindo que elas se recuperem mais rápido de problemas de saúde e assegurando maiores níveis de energia e potencialmente esforço!

Portanto, o ambiente no qual está inserido deve proporcionar ao funcionário uma experiência de trabalho que permita florescer todo seu potencial.

Décadas atrás ninguém se importava com a experiência do funcionário, visto que todo o poder estava nas mãos dos empregadores. Bastava simplesmente oferecer um emprego e um lugar para se trabalhar. Não havia qualquer foco em engajamento, inspiração e belos projetos de espaços de trabalho. Contudo, esses são tópicos que vieram para ficar e fazem parte do dia a dia de qualquer empresa. Se antes o foco era criar um espaço onde as pessoas precisavam trabalhar, agora se faz necessário criar um ambiente onde os funcionários querem trabalhar.

Mas veja bem, você não precisa de um escritório que sabe a hora que você acorda todos os dias pela manhã. Ainda assim, você pode trabalhar em um ambiente mais agradável, sem aquele clima “quadrado” dos locais de trabalho do passado. Não deixe de conhecer nossas linhas de pisos vinílicos para uso comercial e corporativo, EcoCorp e EcoContract! Criar um ambiente nos quais as pessoas queiram trabalhar pode gerar resultados muito positivos!

Especialidade médica ganha design moderno e sofisticado

Provavelmente poucas pessoas conhecem a especialidade hebiatria, a medicina voltada especialmente para adolescentes. Em São Paulo já existem alguns consultórios que fazem este atendimento especializado. Um deles recebeu o design moderno e sofisticado da arquiteta e designer de interiores Fabiana Ortiz, que se preocupou em desenvolver um espaço onde os jovens se sentissem em casa.

O conceito do projeto foi incorporar às pessoalidades e preferências dos adolescentes. E como os  espaços favoritos são sempre o quarto e a recepção, os consultórios ganharam elementos que fazem essa referência para estes pacientes se sintam à vontade e relaxados durante as consultas.

Outro elemento que a arquiteta e designer acrescentou foi a praia. Por meio de uma pesquisa entre jovens de 10 a 20 anos, de ambos os sexos, Fabiana descobriu que 95% deles gostam de viajar para o litoral. Com essa referência ela escolheu o azul da Patone Institute para as paredes e o revestimento vinílico da ePiso da linha Wood Planks II, padrão Belo Horizonte.

Além de aplicar o revestimento vinílico ePiso por todo o consultório, garantindo conforto e sofisticação, Fabiana decidiu aplica-lo também na parede do banheiro. “Foi colocado o vinílico na parede para ficar mais fácil a sua higienização, dar conforto acústico e deixar o projeto ainda mais bonito”, explica.

Produzida de PVC reciclado, a linha Wood Planks II da ePiso possui muita flexibilidade e pode ser aplicada em pisos e paredes. Com apenas 2mm de espessura e capa de uso de 0,2mm, os revestimentos vinílicos podem ser aplicados em projetos residenciais de tráfego intenso e comerciais de tráfego leve.

Com 22 opções de padrões, as réguas têm tamanhos de 20,32cm x 121,92cm para proporcionar uma visualização melhor do piso. Além de ser antialérgico e antibacteriano, é muito fácil de limpar: basta um pano umedecido.

O que observar na instalação dos pisos vinílicos?

Os pisos vinílicos ePiso conquistaram os arquitetos, designers de interiores e seus clientes por reunir em um só revestimento benefícios como: conforto, beleza, praticidade, sustentabilidade, resistência, impermeabilidade; por ser antialérgico e antibacteriano, entre outros. As linhas são cerificadas de acordo com as normas ISO 14001 (Sistema de Gestão Ambiental) e ISO 9001 (Sistema de Gestão de Qualidade), o que comprovam seu compromisso com o meio ambiente e o consumidor. Por isso têm garantia de fabricação até dez anos.

Mas o resultado final também depende de dois fatores muito importantes: a instalação do produto e o uso da cola adequada e de boa qualidade. E isso não é exclusividade dos pisos vinílicos! Todo revestimento exige cuidados na sua aplicação. Entre eles, o mais importante é o nivelamento do contrapiso.  Além de estar bem limpo, liso, seco, firme e sem rachaduras.  “Vale lembrar que um grão de areia pode marcar o piso instalado. Se não estiver totalmente nivelado, vão aparecer altos e baixos”, destaca Ilan Tiktin, diretor da ePiso.

Antes de instalar, aplica-se sobre o contrapiso uma massa niveladora, que atualmente é fornecida por fabricas especializadas e feita de uma mistura de cimento e cola PVA. Esta regularização também deve ser feita caso o piso vinílico venha a ser instalado sobre outro revestimento, como uma cerâmica, por exemplo. Neste caso, os rejuntes precisam ser nivelados. Se a cerâmica ou o porcelanato forem do tipo brilhante, antes da massa niveladora deve ser usado um primer para melhorar a aderência à base. No caso de uma base de cimento queimado, muito lisa, na etapa inicial do serviço será necessário picotar o chão para a massa niveladora aderir.

Outro importante cuidado é verificar a existência de umidade no contrapiso e, caso necessário, impermeabilizar o local.

Um fator que deve ser considerado é a escolha da cola adequada para esse tipo de revestimento. Há basicamente dois tipos de adesivos que são utilizados na colagem de pisos vinílicos:

Adesivos base borracha: feitos com solventes, são também chamados “adesivos de contato” pois  devem ser aplicados em ambos os substratos a serem colados e emitem vapores nocivos ao secar.

Adesivos base acrílico: feitos com água, são mais modernos e não emitem vapores nocivos ao secar. Podem ser utilizados passando o adesivo somente no contrapiso e, após ter pega, deve ser prensado o piso contra o adesivo.

Com todos os cuidados com o contrapiso, um instalador treinado pode aplicar de 50 a 60 metros quadrados em um único dia. A manutenção também é muito prática, basta passar um pano úmido e pronto, o piso vinílico ePiso estará novo!